Seja bem-vindo(a) ao nosso novo portal! Ajude-nos a deixá-lo ainda melhor enviando a sua opinião. Clique aqui.
Notícias da diocese › 04/08/2018

Despertai 2018: Padres, religiosos e religiosas, família e leigos, testemunham o amor de Deus em suas vidas

A tarde do Despertai 2018 foi dedicada aos testemunhos dos padres, religiosos, religiosas, leigos consagrados e famílias. Foi um momento proveitoso que se espalhou por vários espaços do Seminário São José e do Centro de Treinamento de Líderes (CTL), em Uruaçu.

No Módulo Novas Comunidades, uma rica pluralidade de carismas enriqueceu o encontro no Espaço da Misericórdia. Maria José da Silva Oliveira, da Comunidade Coração Fiel, relatou aos presentes como foi o chamado de Deus para esse carisma: “Quando eu disse meu sim eu já havia participado de muitos acampamentos, retiros. Já tinha ouvido muito e mesmo assim estava com o coração fechado a ponto de tentar deixar tudo isso de lado. Mas o chamado foi mais forte e quando abri o coração a Deus ele me levou a Coração Fiel”, contou. Já Eduardo Rivelly, da Missão Maria de Nazaré (MMN), comento que só se abrindo ao Pai é que conseguimos de fato participar de sua obra. Com ele foi assim e o Senhor deu a graça de ele fundar a MMN que hoje está presente em Minas Gerais e Goiás (Diocese de Uruaçu). O chamado para viver em uma Nova Comunidade foi feito também para Matheus Marçal (MMN); Thatiane Kedma, da Canção Nova; e Maria Eugênia, da Comunidade Nova Aliança, que também deram seus testemunhos.

Ali próximo também acontecia o Módulo Religioso que também foi um espaço rico graças à presença das Congregações masculinas (Frades Menores, Frades Menores Capuchinhos e Franciscanos Conventuais) e as femininas (Dominicanas de Santa Catarina de Sena, Irmãs da Apresentação de Nossa Senhora e Dominicanas de Santo Rosário de Melegnano).

O Módulo sacerdotal teve os testemunhos do padre Marcelo Gualberto, que é do Clero Diocesano de Uruaçu e atua há dois anos como missionário no Alto Solimões (AM). Em sua fala ele abordou sua experiência como missionário e sua trajetória como sacerdote. “Ser missionário é doar-se, caminhar junto, estar próximo do povo de Deus”, afirmou. Já padre Raynner Leonardo, que foi ordenado no último mês de julho, falou de sua caminhada vocacional e de sua felicidade por ter escolhido ser padre.

Sobre a vocação familiar, testemunharam o casal Benedito e Sebastiana e o padre Marcélio Fernandes Godoy, da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, de Estrela do Norte (GO). “A vocação de ser família deve começar no namoro sólido para que seja construído um amor forte, sólido, seguro”, declarou Benedito.

Logo após os módulos, teve início a Balada Vocacional do Palco Alternativo.

 Setor Diocesano de Comunicação. Fotos: Dayana Gontijo e Adenilson Fotografias


Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.