Seja bem-vindo(a) ao nosso novo portal! Ajude-nos a deixá-lo ainda melhor enviando a sua opinião. Clique aqui.
Notícias da diocese › 09/07/2018

Diocese de Uruaçu ordena três diáconos e dois padres

Na manhã deste domingo (8), a Igreja Diocesana de Uruaçu acolheu seus novos ministros ordenados: os diáconos Fábio, Paulo Júnior e Rener, e os novos padres Nielson e Raynner Leonardo. Sob a imposição das mãos do bispo, Dom Messias dos Reis Silveira, e a presença de todo o clero, religiosos e religiosas e o povo de Deus desta Igreja particular e outras dioceses, a celebração de ordenação expressou uma Igreja que pulsa vocações e reza a Deus para que o Senhor da Messe continue a enviar mais operários para a sua Messe.

O Senhor tem atendido as orações. Em sua homilia, Dom Messias comentou que nesta celebração ele completava o número de 27 ordenações de presbíteros diocesanos. “Quando cheguei na nossa Diocese, há 11 anos, encontrei um número expressivo de seminaristas em processo de formação. Deus continuou chamando jovens para o sacerdócio. Esses que hoje serão ordenados são os que eu vi ingressar no Seminário. Os acompanhei desde o início”, afirmou.

Em seguida, o bispo disse que a celebração de ordenação é uma festa de toda a diocese, por isso todas as paróquias realizaram o tríduo vocacional em preparação às ordenações. Se dirigindo àqueles que seriam ordenados diáconos, Dom Messias explicou que a origem deste ministério remonta aos apóstolos que, ao sentirem a necessidade de ampliar o serviço do Evangelho e da caridade, escolheram homens de boa fama, repletos de Espírito e de sabedoria que foram encarregados dessa tarefa. “Eles foram apresentados aos apóstolos que oraram e impuseram as mãos sobre eles” (At 6,2ss), comentou Dom Messias se referindo aos primeiros diáconos da Igreja, Estêvão, Felipe, Prócoro, Nicanor, Timon, Pármenas e Nicolau de Antioquia.

Palavra aos ordinandos diáconos

“Quero dirigir-me a vós, filhos caríssimos que sereis ordenados Diáconos, o Senhor vos deu o exemplo para que, assim como ele fez, façais também vós. Em vossa condição de Diáconos cumpri generosamente a sua vontade, e, na caridade, servi com alegria tanto a Deus como à humanidade. Como livremente procurais a Ordem do Diaconado, à semelhança dos que foram escolhidos pelos Apóstolos para o serviço da caridade, deveis ser homens do bem, cheios do Espírito Santo e da sabedoria. (Pontifical Romano, Homilia da ordenação simultânea de diáconos e presbíteros).

Neste tempo de tanto laxismo, permissividade e falta de compromisso, vale lembrar, exercereis o vosso ministério no estado do celibato. Ele é um sinal e, ao mesmo tempo, um incentivo da caridade pastoral. Essa consagração radical para livremente servir à humanidade, só tem sentido em relação à Cristo e nunca em relação ao mundo, por isso o mundo e as pessoas do mundo nunca vão compreender o sentido de vosso compromisso celibatário.

A segunda leitura traz indicações importantes para o ministério que exercereis. Assim diz o texto sagrado:  Caríssimos, ninguém vos despreze por serdes jovens. Pelo contrário, servi de exemplo para os fiéis, na palavra, na conduta, na caridade, na fé, na pureza. Não descuideis o dom da graça que tendes e que vos foi dada por indicação da profecia, acompanhada da imposição das mãos.

Mostrai-vos perseverantes” (Tm 4,12-16). Quero vos pedir: guardai essas palavras em vossos corações, como fazia Nossa Senhora. O Senhor vos fortaleça na vida e na missão. Estou feliz por ordenar-vos e sei que posso contar com vossa colaboração, em meu ministério episcopal. Contai também comigo, com minhas orações, amizade e apoio.

Missão dos novos padres

Aos dois ordinandos presbíteros, Dom Messias pediu que eles cumpram no Cristo Mestre a função de ensinar, de transmitir a todos a Palavra de Deus que deve ser meditada e rezada todos os dias. Ainda pediu que os novos padres exerçam a missão de santificar: “Nossa Diocese precisa de santos. Na celebração diária da Eucaristia buscai a santificação de vossas vidas e das pessoas. Procurai celebrar diariamente a Eucaristia”. Embora os padres tenham direito ao descanso semanal e às férias, Dom Messias pediu que eles jamais tirem férias de Deus.

Ao povo de Deus, o bispo também pediu que os padres sejam dóceis. “Ninguém vai à Igreja para apanhar. As pessoas querem sentir que, na Igreja, elas são amadas por Deus e por seus Pastores. Anunciai sempre a Palavra de Salvação e não de condenação”. E disse que a vida do padre é uma vida de doação.

Aos jovens

Àqueles que sentem o chamado do Senhor em seus corações, o bispo afirmou que eles devem ter coragem para responder com generosidade ao chamado que Deus vos faz. “Caríssimos jovens se o Senhor os chamar sejam generosos na resposta. Os familiares se alegrem quando o Senhor visitar vossas casas e chamar algum de vossos filhos para o ministério ordenado, ou vida consagrada”.

Leia homilia na íntegra, clique aqui

Veja todas fotos, clique aqui


Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.