Seja bem-vindo(a) ao nosso novo portal! Ajude-nos a deixá-lo ainda melhor enviando a sua opinião. Clique aqui.
Notícias da diocese › 28/04/2017

Dom Messias destaca assuntos abordados no primeiro dia da 55ª Assembleia Geral

A 55ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que começou nesta quarta-feira (26), em Aparecida (SP), teve momentos para a missa de abertura, diversos comunicados, reflexões, e apresentações. O presidente do Regional Centro-Oeste, Dom Messias dos Reis Silveira, direto do Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida, envia as primeiras informações sobre este grande acontecimento da Igreja no Brasil que congrega mais de 300 bispos ativos e eméritos, dos 18 regionais da CNBB.

Abertura

A 55ª Assembleia Geral da CNBB foi aberta com a missa das 7h30, no Santuário Basílica Nossa Senhora Aparecida, presidida pelo cardeal arcebispo de Brasília e presidente da Conferência, Dom Sergio da Rocha, e concelebrada por todos os bispos e com a presença do núncio apostólico no Brasil, Dom Giovanni D’Aniello, além dos assessores e participação dos colaboradores da CNBB. Com este ato litúrgico de grande fé, que é sinal de comunhão, como assim disse Dom Sergio, demos início a este grande evento.

Boas-vindas

No plenário do Centro de Eventos Pe. Vitor Coelho de Almeida, houve uma celebração de abertura com o momento da proclamação da Palavra de Deus, também com um breve momento de celebração e as palavras de abertura e de acolhida, do arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes; do núncio apostólico, Dom Giovanni; do presidente da CNBB, Dom Sergio; do prefeito de Aparecida, Ernaldo César Marcondes; e do reitor do Santuário, padre João Batista de Almeida.

Conjuntura social

Tivemos também a apresentação do relatório do presidente. Este ato faz parte da assembleia e, como de costume, Dom Sergio relatou o que foi feito pela CNBB no último ano. Ele destacou a visita feita pela presidência ao Santo Padre, o papa. Disse também que a Conferência vive um momento muito especial e de dificuldade pela crise por que passa o Brasil. Houve o impeachment, o momento interino e agora todas essas situações: uma grande crise ética com as denúncias de corrupção colocadas à mesa. Portanto, é um momento muito delicado, a CNBB sempre tem emitido notas sobre alguns assuntos especiais, quer seja pela presidência, pelo Conselho Permanente, pelo Conselho Episcopal Pastoral (Consep), pela Assembleia, sendo que esta é o momento principal.

Novos bispos

Ainda no primeiro dia, foi feita a apresentação dos novos bispos. Neste ano tivemos muitas nomeações, graças a Deus. É um sinal da Igreja crescente em nosso país e, em nosso regional tivemos a apresentação de Dom Moacir Arantes, que é bispo auxiliar de Goiânia. Hoje também houve o momento de falar do Projeto de Comuhão e Partilha que, por cinco anos, foi aprovado. Trata-se de um projeto em que todas as dioceses enviam 1% da sua receita para colaborar com dioceses que não têm tantos recursos na formação de seminaristas. Toda a Igreja no Brasil participa. Ao todo, 400 seminaristas são beneficiados em todo o Brasil. Foi pedido então para que o projeto seja renovado. Por enquanto ainda não foi definido, mas foi pedido para ser votado: se vai ser um projeto permanente ou se será renovado a cada cinco anos.

Educação e conjuntura eclesial

O texto Pensando o Brasil, que neste ano é sobre Educação, também foi apresentado. O material ainda continua em estudo neste ano recebendo acréscimos. Os bispos fizeram as suas intervenções, mas ainda haverá um momento de estudo de grupos para que sejam dadas mais contribuições para que a CNBB possa apresentar um texto iluminador da reflexão sobre a educação em nosso país. A última seção, já à noite, foi sobre os 10 anos da Conferência do Episcopado Latino Americano, que aconteceu em 2007 e resultou no Documento de Aparecida (DAp). Encerramos com a análise de conjuntura eclesial.

Peço a oração de todos para que tudo ocorra bem nestes dias tão importantes para a nossa Igreja no Brasil

 

Fonte: CNBBCO


Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.