Seja bem-vindo(a) ao nosso novo portal! Ajude-nos a deixá-lo ainda melhor enviando a sua opinião. Clique aqui.
A Voz do Pastor › 10/12/2014

Advento: tempo de fazer o caminho para Belém

Por Dom Messias dos Reis Silveira

jose-maria-viagem-jesusO tempo do Advento inaugura um novo Ano Litúrgico. A Igreja recomeça seu caminho de fé e convida seus filhos e filhas a retomarem o projeto da vida cristã. Somos chamados a olhar para a realidade humana com uma visão realista. Há sinais de Deus na história da vida humana, mas estes sinais podem estar encobertos. É preciso soprar as cinzas, retirar a poeira e deixar a vida transparente. No Advento abre-se novamente um caminho rumo à Belém. Este caminho conduz ao encontro da pobreza de um casal que tocado pelo mistério divino presenteou a humanidade com o que de mais belo se pode oferecer. O casal pobre e humilde chegou à Belém portando a gravidez sonhada pelos que ansiavam a salvação. Aquela gravidez era presente de Deus para a humanidade.

Nas casas de Belém o casal em romaria não fora acolhido. Naquela cidade dores de parto foram sentidas por Maria. Aconteceu o nascimento de uma criança pobre e humilde. Anjos cantaram glórias, pastores demonstraram solidariedade visitando o recém nascido, e houve perseguição de Herodes. Belém não foi e não é uma realidade fácil de ser encarada.

Muitos caminhos parecem conduzir para a glória, mas não se chega a ela sem passar por Belém e pelo Calvário. Assim o tempo do Advento relembra novamente a caminhada de um povo que busca a libertação e vai fazendo o seu caminho, em meio a angústia do existir humano, percebendo que a salvação está chegando. Belém está dentro do projeto do crescimento e do amadurecimento da pessoa.

A realidade humana, hoje, é tão sofrida, pois há muitas pessoas que como cães pegam comida nas latas de lixo, crianças são abandonadas, os desempregados não encontram emprego, a droga entristece tantas famílias e dizima muitas pessoas, o assalto assusta e deixa tantas vítimas, a violência está em todos os cantos, a insegurança gera a ansiedade, o preconceito diminui as pessoas e tantos outros sofrimentos fazem parte da rotina. Envoltos nesta realidade, mas cheios de esperanças é preciso ouvir novamente o apelo à conversão que leva a uma nova atitude de vida. As semanas do Advento vão acendendo luzes dissipadoras das trevas existenciais.

O tempo do Advento é composto por quatro semanas. As duas primeiras despertam para acolher a chegada do Senhor e as duas últimas transportam para a contemplação de um nascimento lá em Belém. Somente quem for tocado pela fé perceberá a diferença deste nascimento e se encantará com ele.

Advento é tempo de vigilância. Para acolher a salvação é preciso estar acordado e vigilante. Acordar é dolorido. Quem está acordado não pode ficar indiferente ao que se passa dentro da vida humana. Ser vigilante não é ficar com medo, mas é ter dentro de si a certeza que a transformação vai acontecer e é necessário acompanhar os passos desta transformação.

Em meio à Belém algo belo surge. Deus aparece na figura de um menino. Ele é o menino salvador. Deus é uma criança corajosa que veio crescer com os humanos e salvá-los. A salvação está chegando, mas é preciso uma intensa preparação para acolhê-la. Esta preparação vai acontecendo enquanto peregrinamos nos caminhos para Belém. Quem vai à Belém deve se preparar para muitas surpresas. O caminho que conduz à Belém em termos litúrgicos pode ser chamado de Advento.

Dom Messias dos Reis Silveira

Bispo Diocesano

Diocese de Uruaçu


Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.