Seja bem-vindo(a) ao nosso novo portal! Ajude-nos a deixá-lo ainda melhor enviando a sua opinião. Clique aqui.
A Voz do Pastor › 21/11/2014

Os parafusos da Igreja

Por Dom Messias dos Reis Silveira

Dom-MessiasParafuso é uma peça cilíndrica ou cônica e roscada destinada especialmente a segurar ou fixar duas peças. São utilizados nas máquinas, nas construções, objetos e até em pessoas quando precisam fixar partes fraturadas. Eles são de tamanha importância que fica difícil imaginar que se chegará um momento em que os mesmos serão totalmente abolidos. Neste sentido eles são necessários, pois não se pode abrir mãos deles.

Existem determinadas situações em que os parafusos começam a afrouxar, as partes começam a bater e as máquinas, ou objetos ficam prejudicados no seu funcionamento. Neste caso se faz necessário revisar apertando os parafusos novamente. Esse trabalho exige habilidade para não espaná-los e a peça não perder a qualidade.

Essa realidade dos parafusos utilizados nas coisas materiais pode se tornar um simbolismo nas realidades humanas e espirituais. Nas relações humanas existem motivos que unem as pessoas umas às outras de tal forma  que passam a viver unidas em grande comunhão se respeitando mutuamente.

Jesus expressou o desejo de  que a vida dos discípulos fosse como que parafusada gerando unidade como Ele era unido ao Pai. “A fim de que todos sejam um, como tu, Pai, estás em mim e eu em ti, que eles estejam em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste” (Jo 17,21).

A Igreja chama constantemente os seus filhos a viverem a unidade e trabalha para que a comunhão exista de fato, por isso podemos dizer que ela tem também os seus parafusos que unem as pessoas entre si e com Deus. Os sacramentos, a evangelização, o dinamismo pastoral, os aconselhamentos, as orações podem ser vistos como se fossem parafusos que ajudam os seus filhos a viverem na fidelidade.

A unidade dos cristãos a Deus se torna tão intensa e bela que a vida divina passa a circular na vida humana e neste caso a pessoa sente-se que não dá mais para viver sem Ele. “Pois nele vivemos,  nos movemos e existimos” (At 17,28). Feliz de quem se permite estar parafusado em Deus e a Igreja tem seus meios para fazer isso. Ela tem os seus parafusos.

Dom Messias dos Reis Silveira

Bispo Diocesano


Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.