Seja bem-vindo(a) ao nosso novo portal! Ajude-nos a deixá-lo ainda melhor enviando a sua opinião. Clique aqui.
A Voz do Pastor › 30/05/2017

Sessenta Anos de História Diocesana

Por Dom Messias dos Reis Silveira

Costumo dizer na orientação para noivos que estão se preparando para o casamento que, ao se casarem, estejam abertos ao passado e ao futuro, pois, quem se casa não se casa apenas com uma pessoa, mas se casa também com a família do cônjuge com toda sua história e seu jeito de viver. O casamento acontece também com a história da pessoa com quem está se casando. Essa história construiu uma personalidade que se mantém em projeção para o futuro. Visto desta forma, o matrimônio se liberta de uma visão apenas voltada para os nubentes, mas passa a ser visto na linha do compromisso e da acolhida familiar. Os noivos acolhem uma nova família com todas as suas virtudes e defeitos e as famílias permitem que seus rebentos formem uma nova família respeitando as suas potencialidades e limites.

Isso pode ser dito também de um padre que assume um novo trabalho pastoral na diocese, uma nova paróquia, ou de um bispo que assume uma diocese, pois não se assume só o futuro, mas também se assume o passado.

Há dez anos, o Santo Padre, Bento XVI, me enviou para a Diocese de Uruaçu. Utilizando a alegoria do casamento, posso dizer que me casei com a história desta porção eclesiástica aqui em peregrinação e a diocese se casou comigo. Somos uma só família em Cristo.

Neste ano a Diocese de Uruaçu está celebrando seus sessenta anos de instalação. É a história de muita gente que se casou com esta Igreja, entrando no bonde de seu movimento no firme propósito de dar o melhor de si para se concretizar o sonho de Deus.

Quem tem sessenta anos já tem a maturidade para não ficar apegado a detalhes, mas é capaz de avistar mais longe e reunir a sabedoria adquirida nos anos vividos.

Esse é o nosso momento de nos alegrar por fazer parte desta história. Estamos casados com seu passado e abertos ao futuro gerando a vida que Deus deseja que seja gerada. A obra é Dele e nós somos instrumentos em suas mãos para que Ele realize o que deseja realizar. Deus mesmo está casado com nossa história passada e com a que virá depois. Nesta festa de sessenta anos as velas que serão acesas e apagadas, por nós mesmos, representam as vidas que vão se gastando em favor do Reino de Deus. Parabéns a você que é Igreja e está dando continuidade ao que foi começado no passado. Todos cantamos um hino de gratidão a Deus por esta história que tem a marca de sua divina presença.

Foi com fé, alimentados pela Eucaristia e com devoção mariana que nossa História foi construída e permaneceu aberta ao futuro que a Deus pertence. O Criador nos pede que participemos da construção da sua Sagrada História com nossa Diocese, pois nas coisas que Ele confia aos seus filhos, nunca se pode dizer que já se atingiu a plenitude.

Dom Messias dos Reis Silveira

Bispo Diocesano


Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

Threesome