Seja bem-vindo(a) ao nosso novo portal! Ajude-nos a deixá-lo ainda melhor enviando a sua opinião. Clique aqui.
Notícias da diocese › 15/08/2018

Na Festa de Nossa Senhora d’Abadia de Muquém, Dom Messias convoca cristãos a serem sal da terra e luz do mundo

A missa solene da Padroeira de Goiás, Nossa Senhora d’Abadia de Muquém, foi presidida pelo bispo diocesano de Uruaçu, Dom Messias dos Reis Silveira, no Santuário Diocesano de Muquém, na manhã desta quarta-feira (15). A casa da Mãe estava lotada neste dia de festa, que também a Igreja celebra em todo o mundo, a Assunção de Nossa Senhora aos céus.

Em sua homilia, o bispo comentou os 270 anos de devoção a Nossa Senhora d’Abadia dizendo que ela “acolhe e saúda a cada um dos romeiros que para este santuário vem”. Ao refletir sobre a Solenidade do dia de hoje, Dom Messias explicou o sentido da Assunção da Virgem Maria. “Ela não é apenas bendita entre as mulheres, mas é bendita entre os anjos e santos que vivem eternamente na presença de Deus”. Assim como a saudação de Maria chegou à sua prima Isabel (Lc 1,40), conforme o presidente da celebração, essa mesma saudação chega aos nossos ouvidos para fazer nossa vida despertar.

Na Romaria de Nossa Senhora d’Abadia de Muquém, que teve início no dia 5 de agosto e termina amanhã (16), Dom Messias disse que o despertar da saudação de Maria tem a força de fazer muitos romeiros voltar mais vivos para suas casas, famílias e comunidades. O bispo também refletiu sobre a humildade de Maria que é um aspecto que deve permear a vida de todos os cristãos. Assim como o Senhor olhou para a sua humildade, Dom Messias disse que os cristãos também devem olhar para a humildade do povo, sobretudo aqueles que mais sofrem, para que suas feridas sejam saradas. Para que isso aconteça, ele disse que falta uma coisa: mais compromisso dos cristãos.

Neste ano de eleições, disse o bispo, os cristãos são chamados a serem “sal da terra e luz do mundo” (Mt 5,13-14) e, sobretudo neste ano em que a Igreja celebra o Ano Nacional do Laicato, é importante que os católicos autênticos participem dos processos de decisões que podem transformar a sociedade. “É preciso apoiar os católicos autênticos que se candidatam. É preciso apoiar aqueles que conhecem as dores, as angústias das pessoas em nossas comunidades. É preciso apoiar os bons cristãos que são membros ativos das nossas comunidades. É preciso eleger os cristãos que já estão sendo ‘sal da terra e luz do mundo’”.

Eleições 2018

Por fim, Dom Messias afirmou que a Igreja espera muito dos cristãos leigos e, citando o papa Bento XVI, disse que “convém preencher a notável ausência, no âmbito político com vozes e iniciativas de chefes católicos de forte personalidade e dedicação generosa, que sejam coerentes com as suas convicções éticas e religiosas”. Se dirigindo aos eleitores, ele pediu consciência ao votar, cuidado com as notícias falsas que propagam o voto nulo e branco como saída para o fim da corrupção e o êxito da democracia, e apoiou os políticos honestos que disputam reeleição. “Existe muitos políticos bons que podem ser reeleitos. É preciso olhar a história”.

Aborto

O bispo de Uruaçu demonstrou preocupação com o processo eleitoral que se aproxima e que definirá os rumos do país nos próximos quatro anos. Continuando sua reflexão sobre o assunto, ele falou de esperança, disse que o Brasil tem jeito e motivou os católicos a trabalhar para que a nossa sociedade seja melhor. Declarou ainda que a vida é o bem maior, desde sua concepção até a morte natural e pediu que o povo elegesse candidatos pró-vida. “O aborto é abominável. Mesmo que os deputados, senadores e agora ministros do STF votem descriminalizando o aborto, Deus e a Igreja continuam afirmando: Não mate! A lei de Deus não está sujeita à opinião pública”.

Família

O cristão autêntico é também aquele que valoriza a família, disse o prelado. Em uma época em que vozes dissonantes reafirmam com a força dos meios de comunicação digitais que a família tradicional é coisa do passado, a Igreja nos diz que “a família é o nosso porto seguro. Continua a ser um espaço de crescimento, solidariedade e santificação. Procuremos tornar sagrada as nossas famílias”.

O cristão devoto de Nossa Senhora, concluiu Dom Messias, “nunca se perde” disse citando Santo Afonso de Ligório, santo do século XVI celebrado no dia 1º de agosto. A oração em família, conforme pontuou, é uma força e segurança inabalável. “É preciso a família se reunir em torno do altar para participar da Missa. É preciso rezar juntos. Pais, ensinem seus filhos a serem devotos de Nossa Senhora. Esse jubileu, 270 anos de devoção, nos ajude a crescer no amor filial à Virgem Maria e fidelidade a seu Filho, Jesus”.

Leia homilia na íntegra clicando aqui

Confira as fotos da missa


Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.