A trajetória de Dom Messias dos Reis Silveira na Diocese de Uruaçu

0
174

Dom Messias cumpre missão em Uruaçu e é chamado para servir em “águas mais profundas”

Ao anunciar oficialmente na manhã do dia 14 de novembro, a nomeação de Dom Messias dos Reis Silveira para a Diocese de Teófilo Otoni (MG), o cardeal Sergio da Rocha, arcebispo de Brasília e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lembrou que os 12 anos de Dom Messias dedicados à Diocese de Uruaçu, foram um ano para cada apóstolo, tamanha foi sua dedicação a esta Igreja particular. A notícia foi anunciada por Dom Sergio na sede do Regional Centro-Oeste da CNBB, em Goiânia, por ocasião da última Reunião do Conselho Episcopal Regional (Conser) em 2018.

De fato, os 12 anos de Dom Messias nesta Igreja particular tiveram as marcas do Bom Pastor, como se fez entender Vossa Eminência. Foi um período dedicado ao povo de Deus por meio da oração, da partilha, da convivência e da construção do Reino de Deus na Igreja caminhante.

“Nós queremos agradecer muito a Dom Messias por estes 12 anos na Diocese de Uruaçu e por estar conosco como presidente do Regional Centro-Oeste. Ele é nomeado para a Diocese de Teófilo Otoni (MG), generosamente atendendo a uma necessidade da Igreja. Pedimos que rezem por ele para que tenha a força necessária na nova missão. Hoje, a própria liturgia colocou de maneira providencial este Salmo 22 (23): quem vai conduzir a Igreja é Jesus contando com um pastor dedicado como Dom Messias. Nós, com certeza, vamos acompanhá-lo com nossa oração, amizade e gratidão”, afirmou o cardeal, logo após a missa que ele presidiu no segundo dia da Reunião do Conser.

Em seguida, Dom Messias agradeceu a Deus pela missão confiada a ele na Diocese de Uruaçu. “Foi onde eu aprendi a ser bispo com o povo, com os padres e aqui com os senhores bispos. Aceitei de braços abertos a nova missão e vamos seguir em frente”, declarou.

Nomeação
A decisão do papa Francisco, de transferir Dom Messias para Teófilo Otoni foi publicada oficialmente no Jornal L’Osservatore Romano, às 12h de Roma, no dia 14 de novembro. O secretário geral da CNBB, Dom Leonardo Ulrich Steiner, saudou o novo bispo dizendo o que significava aquela transferência para a Igreja. “Temos necessidade contínua de odres novos (Mc 2,22), e tudo aquilo que fazemos não é nunca suficiente para nos tornar dignos do vinho novo que são chamados a conter e a distribuir. Mas, justamente por isso, os recipientes saibam que sem o vinho novo serão de qualquer forma jarros de pedra fria, capazes de recordar a falta, mas não de doar a totalidade. Nada os distraia dessa meta: doar a totalidade!”.

Mensagem à Diocese de Uruaçu
Ao dirigir mensagem especial aos diocesanos de Uruaçu, Dom Messias revelou em um texto emocionante que guardava o segredo pontifício de sua transferência desde o dia 4 de outubro de 2018. “Deus nos surpreende. O meu nome estava indicado. Era preciso aguardar a decisão do papa Francisco. Aguardei rezando e já me preparando para partir”, disse em um dos trechos da mensagem. Em seguida ele comentou que o seu tempo se completou em Uruaçu e que “agora é hora de avançar para outras águas”. O bispo também louva a Deus, na mensagem, pelo que foi bom e diz confiar à misericórdia do Pai o que a sua fraqueza não deixou ser melhor. Por fim, não deixou passar a sua emoção. “Vocês nunca serão esquecidos. Vou sentir saudades, sei que vou, pois ela é sinal de amor”.

Histórico

“Pastor com o cheiro das ovelhas” (Papa Francisco)

Nomeado bispo da Diocese de Uruaçu (GO)em 3 de janeiro de 2007, Dom Messias sucedeu a Dom José Silva Chaves tornando-se o terceiro bispo desta jovem Diocese cravada no norte do estado de Goiás. Sua ordenação episcopal se deu em 11 de março de 2007, em sua diocese de origem, Guaxupé (MG) e a posse canônica aconteceu no dia 25 de março do mesmo ano em Uruaçu.

Seu pastoreio fez jus ao seu lema episcopal “Permanecei em mim” (Jo 15,4) que para Dom Messias sempre teve um significado muito especial.“Permanecer em Cristo deve ser o esforço de quem é chamado a servi-lo. Não é um lema de proteção, no sentido de encolhimento dentro da vida de Cristo, mas trata-se do desafio de segui-lo onde quer que ele vá, se necessário até à Cruz. Ir com Cristo até o fim, sem buscar recompensas, trabalhando incansavelmente pelo Reino de Deus, esse é meu desejo”, explicou o bispo.

As palavras proferidas por Dom José Geraldo Oliveira do Valle, bispo emérito de Guaxupé, em sua homilia, por ocasião da missa de ordenação episcopal de Dom Messias, fizeram todo o sentido em sua vida episcopal. “No trato com o povo, seja um homem simples; não deixe que o episcopado desfigure suas raízes rurais. O povo só se aproxima dos simples, dos humildes dos sem pompa dos que se igualam dos que sabem rir juntos, partilhar a vida sem se vulgarizar”.

Visitas pastorais
Dom Messias visitou todas as paróquias da Diocese de Uruaçu, em 2007, ano em que foi nomeado bispo. As visitas foram breves e duraram um dia em cada paróquia. No ano seguinte ele iniciou as visitas pastorais às paróquias. Estava visitando,em média, de cinco a seis paróquias por ano, com cada visita durando de três a quatro dias. Nesta segunda rodada de visitas ele conseguiu visitar cerca de 20 paróquias, faltando outras 15. Essas visitas foram momentos fortes na vida da igreja diocesana de Uruaçu, em que o bispo conhecia o povo, dialogava com as pessoas, sabia da sua vida e celebrava com toda a comunidade a Santa Eucaristia. Visitas aos doentes e o bate-papo nas portas eram rotineiros na companhia daquele cafezinho quente. “As visitas às famílias é um momento de muita convivência e alegria. Os moradores aproveitam para oferecer um café e conversam muito com o bispo sobre a vida espiritual, a vida humana e os desafios do cotidiano”, comentou o bispo sobre uma de suas últimas visitas pastorais.

Publicações
Muitos artigos foram publicados por Dom Messias, durante os 12 anos de pastoreio na Diocese de Uruaçu. A maioria deles está no site da diocese e no jornal diocesano Caminhar Juntos. Ele escreveu ainda duas Cartas Pastorais e um livro, conteúdo esse que o bispo considera os mais relevantes em seu episcopado até aqui. A primeira Carta Pastoral se chama “Sete Cestos Cheios”, que foi publicada em 2014. O material comemora os seus sete anos de episcopado. Composto de sete partes, trata de assuntos pastorais e doutrinários ligados ao número sete. No mesmo ano, Dom Messias publicou o livro “Superar a dor do luto”, pela Editora Paulinas. A obra traz uma reflexão confortadora para as pessoas que estão vivendo a situação do luto. Por fim, no ano passado, ele publicou a Carta Pastoral “Permanecei em Mim” (Jo 15,4) cujo objetivo é incentivar a comunhão na Igreja Diocesana a partir de Cristo.

Encontros com os padres
Transformou-se em costume na Diocese de Uruaçu, o encontro do bispo com grupos de padres. Os encontros eram sempre momentos de partilha, oração e fraternidade, em que juntos rezavam, liam e meditavam uma passagem bíblica, além de estreitar as relações com Dom Messias, que ordena na diocese até o fim de seu pastoreio, em fevereiro de 2019, 33 sacerdotes. A Diocese de Uruaçu tem hoje 60 padres diocesanos e sete religiosos.

Reformas e instalações
Para ampliar o dinamismo pastoral da diocese, algumas edificações foram reformadas. Entre elas está a Cúria Diocesana, a residência episcopal e foi adquirida a casa da Gestante. Foi instalado o Centro Vocacional para melhor atendimento e acompanhamento dos jovens vocacionados e no dia 22 de dezembro é instalado Tribunal Eclesiástico Diocesano. A Comunidade Terapêutica Vida Nova foi reestruturada, e a diocese conseguiu a doação do terreno onde a mesma está situada. Existe o projeto para melhorá-la. O CTL também foi reformado e o Seminário São José está em reforma. Muitas paróquias tiveram suas igrejas reformadas, e algumas construídas, ou ainda estão em processo de construção.

Novas comunidades
Dom Messias reconheceu oficialmente a Nova Comunidade Coração Fiel. Acolheu a Nova Comunidade Missão Maria de Nazaré e autorizou a abertura da Fraternidade Divina Misericórdia e outro grupo de leigos.

Regional Centro-Oeste
No Regional Centro-Oeste,(Goiás e Distrito Federal), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) Dom Messias foi o bispo referencial para a Comissão Pastoral da Terra, (CPT), e para a Pastoral da Comunicação, (Pascom). Assumiu a presidência do regional no ano de 2014, com a transferência de Dom José Luiz Majella Delgado para a Arquidiocese de Pouso Alegre (MG). Desde então, ele exerceu o ofício até o último mês de novembro.

Reportagem publicada originalmente, no Jornal Caminhar Juntos, Ed. 273, de dezembro de 2018.