Padre Agamenilton fala das alegrias, das esperanças e da unidade do episcopado brasileiro na 57ª AG da CNBB

0
398

Pela primeira vez, o Administrador Diocesano de Uruaçu, Pe. Francisco Agamenilton Damascena participa da Assembleia Geral da CNBB, que acontece em Aparecida (SP) de 1º a 10 de maio e neste ano está em sua 57ª edição. Podem participar do evento, segundo o Estatuto da CNBB, os 323 bispos na ativa, os 171 bispos eméritos, os Administradores Diocesanos e os representantes de organismos e pastorais da Igreja. Este ano, a AG tem a tarefa central de atualizar as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora (DGAE) da Igreja no Brasil para o quadriênio 2019 a 2023.

Participando do evento, Pe. Agamenilton diz levar “as alegrias, as esperanças, os desafios da nossa vida diocesana, da missão evangelizadora e aqui partilhando com os demais bispos do Brasil dessas alegrias e encontrando neste espaço de comunhão fraterna forças para prosseguir na missão”. Já no segundo dia do encontro (2/05), ele destacou a unidade dos bispos do Brasil. “Posso testemunhar que o episcopado brasileiro neste Brasil tão imenso é muito rico. Posso testemunhar que a unidade e diversidade são muito bem orquestrados pelo Espírito Santo no episcopado brasileiro. Há diferenças, mas há uma caridade muito profunda entre os bispos que são irmãos e nos ajudam a seguir Jesus Cristo”, declarou.

O Administrador Diocesano de Uruaçu comentou o que estava sendo discutido neste segundo dia de Assembleia Geral (2/05). “Hoje, segundo dia de trabalho, estamos dedicando ao tema central que são as novas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE 2019-2023) tivemos trabalhos de grupo, várias colocações, emendas, comentários sobre o texto e caminharemos então para a redação final. Sendo o tema central torna-se muito relevante a discussão porque são essas diretrizes que iluminarão e ajudarão as dioceses a fazer os seus planos pastorais diocesanos e podem se servir dessas diretrizes como resultado de um trabalho de comunhão, de esforço de juntos encontrarmos saídas para nós evangelizarmos do jeito que Jesus nos pede nos dias de hoje”.

Ouça o Pe. Agamenilton

 

A centralidade da oração
Pe. Agamenilton destacou também a centralidade dos momentos de oração durante a Assembleia Geral dos Bispos, sobretudo na Casa da Mãe Aparecida. “Posso constatar os momentos singulares de oração na Assembleia, sejam as missas na Basílica Nossa Senhora Aparecida, a nossa consagração a Nossa Senhora, como também durante os trabalhos da Assembleia, vários momentos de oração, faz-nos entender que aqui não é simplesmente uma reunião, uma Assembleia como se faz em outros lugares, outros grupos, mas uma Assembleia convocada pelo Senhor, estamos reunidos em nome de Cristo e ele está presente no meio de nós. Esses momentos de oração cadenciam o encontro e nos fazem lembrar que Deus nos assiste e estamos aqui por causa dele, portanto, esse é um elemento muito marcante também”, finalizou.

Veja mais fotos da 57ª AG da CNBB