Pe. Francisco Agamenilton: “Este é o ministério do Administrador Diocesano: zelar da diocese da mesma forma que se cuida da noiva que aguarda o noivo chegar”

0
491

O Administrador Diocesano de Uruaçu, padre Francisco Agamenilton Damascena, eleito na manhã do dia 19 de fevereiro, foi apresentado em missa presidida por ele mesmo, na noite desta quarta-feira, dia 20, na Paróquia Sant’Ana, em Uruaçu. Concelebraram com ele diversos padres, entre eles o decano do Colégio de Consultores, padre Aldemir Franzin, que fez o anúncio e apresentou o Administrador Diocesano, e o pároco da Paróquia Sant’Ana e cura da Catedral, padre José Francisco.

Logo no início da celebração, a ata da eleição canônica foi lida pelo chanceler da Diocese, padre Edilson Ribeiro. Após a apresentação e leitura da ata, o Administrador conduziu a celebração na Catedral que estava lotada de fiéis. Em sua homilia, padre Agamenilton refletiu sobre a liturgia do dia (Gn 8,6-13.20-22) destacando o sentido da Arca de Nóe. “Essa arca foi compreendida como um sinal de Jesus Cristo. Noé e os demais se salvaram porque entraram na arca que é uma figura de Jesus. Quem entra no coraçÃO de Jesus, quem comunga da vida de Jesus, quem pela fé aceita Jesus como seu único Senhor e salvador, é salvo”.

Em relação ao Evangelho (Mc 8,22-26) o Administrador Diocesano comentou que na Igreja estão os caminhos de salvação. “O evangelho de hoje fala do milagre de Jesus para aquele homem que perdeu a visão. Por meio da palavra do Senhor quanta coisa podemos encontrar. Por meio da Palavra de Deus, e dos ensinamentos da Igreja, como nossa visão pode se ampliar e ver que além do mar desta vida tem mais vida”.

Vou prestar esse serviço de cuidar da diocese para prepará-la para receber o seu bispo, como João Batista que preparou o povo para receber o Cristo

Eleição
Já sobre sua eleição, padre Agamenilton disse por que aceitou esse serviço. “Eu aceitei esse serviço, esse ministério da Igreja, e eu estou aqui diante de vocês, de Deus, dessa diocese, para servir, ajudar essa Igreja que nos gera dia a dia para a vida eterna, principalmente, para cuidar, zelar da diocese da mesma forma que se cuida da noiva que aguarda o noivo chegar. Nós estamos em Cristo”.

O Administrador também explicou que a Sé (sede) está vazia por algum tempo. Não ouvimos mais o nome do bispo nas celebrações e, nesta situação, surge o ministério para o qual ele foi eleito pelo Colégio de Consultores. “Vou prestar esse serviço de cuidar da diocese para prepará-la para receber o seu bispo, como João Batista que preparou o povo para receber o Cristo. Eu estou aqui como João Batista para prepará-los e a mim também, pois estou na diocese, em nome do Senhor. Não sabemos quando, nem de onde. Sabemos que ele (novo bispo) vem e a minha prece é que venha sem demora, que venha ligeiro”, declarou sob risos da assembleia.

A lógica de Deus não é essa da carreira. Administrar a Diocese é um serviço que começou ontem e vai até o dia da chegada do nosso futuro bispo

Ele explicou aos presentes ainda que a sua função é temporária até que o bispo chegue e que ele (padre Agamenilton) não é bispo, mas um padre como os demais da diocese. “A Igreja me dá certos poderes para esta função, mas que se traduzem em serviço, em preparar esta noiva para acolher o seu futuro bispo”. Outra coisa que ele fez questão de deixar claro, é que a função não o torna mais próximo de se tornar um bispo. “Sou Padre, embora já digam por aí que estou mais próximo de ser um bispo. Os planos de Deus só ele sabe. A lógica de Deus não é essa da carreira. Administrar a Diocese é um serviço que começou ontem e vai até o dia da chegada do nosso futuro bispo. Então vocês vão ensinando, catequizando e isso serve até para a gente se purificar dessa visão mundana do carreirismo porque a lógica de Deus é a do serviço. Conto com a ajuda do Colégio de Consultores. Esta é uma administração colegiada. Eu rezo por vocês e vocês rezam por mim, me ajudem, deem dicas, sintam liberdade disso e me coloco à disposição da diocese para esta tarefa. Estou aqui par ajudar os padres, os diáconos, consagrados, religiosos, leigos, ajudar o povo de Deus a viver esse momento da arca. Deus está conosco, caminha com a gente e não desampara. O melhor vem depois. Todos continuam com suas missões”, ressaltou.

Padre Agamenilton explicou, por fim, que após a posse do Dom Messias na Diocese de Teófilo Otoni (MG) continuam em suas funções: os cargos provisionados, os coordenadores de pastorais, os vigários forâneos, os conselhos e os cargos do padre Crésio Rodrigues, de vigário judicial; do padre Edilson Ribeiro, de Chanceler e do padre Antônio Teixeira, de ecônomo. “Não teremos a figura do vigário geral que até então era desempenhada pelo padre José Francisco, mas ele continua pároco da Paróquia Sant’Ana e cura da Catedral. A arca segue em meio às sombras, luzes e graças”, concluiu.

Fotos: José Tomaz/Paróquia Sant’Ana